Pages

7 May 2021

Nonsense Alphabet print by Edward Lear


Alice Através do Espelho: reflexos entre Lewis Carroll e Suzy Lee

 

Duane Michals, 1974

Suzy Lee, Alice.


artigo de Luis C Girão 

LEIA-ME  

"Celebrando em 2015 seus 150 anos de publicação, Alice In Wonderland é um dos mais consagrados clássicos da literatura infantil, sendo referência para diversos autores, ilustradores e pesquisadores até a atualidade. Publicamente inspirada pela obra-prima de Lewis Carroll, a autora-ilustradora Suzy Lee teve seu título Espelho impresso em território brasileiro pela editora Cosac Naify em 2009. O livro-imagem, composto por narrativas pictóricas sem qualquer código verbal, expõe a estória de uma garota que interage com o seu próprio reflexo e, em determinado ponto, cruza a margem/dobra central do livro - espaço este que separa os mundos da realidade e da imaginação. Assim como Alice atravessa o espelho da sala de casa para ver o mundo pelo outro lado nas palavras do autor britânico, a protagonista entra no espaço central da página dupla nas imagens da book artist sul-coreana. Buscando expor sintomas de memória, com base nas teorias do historiador da arte Aby Warburg e do semioticista Iúri Lotman, propomos para a presente comunicação analisar a relação Imagem-Palavra entre as publicações de Lewis Carroll e Suzy Lee. Para concentrar nossas reflexões sobre o diálogo entre palavras e imagens, fazemos uso dos escritos de especialistas em literatura infanto-juvenil como Perry Nodelman e David Lewis, bem como nos referenciamos nos trabalhos de Georges Didi-Huberman e Philippe-Alain Michaud acerca do trabalho de Aby Warburg com o seu atlas Mnemosyne."

 

 

13 Apr 2021

"For me, the biggest gift that Alice has given me, and perhaps to many others, is in the clue of shrinking: it’s a portal to our child within." Helena Bonham Carter

Helena Bonham Carter on the magic and influence of Alice in Wonderland 

"(...) Since then, I’ve pillaged and borrowed and stolen all things Alice, and woven and imported them somehow into my life. Now I come to think of it, everywhere I look at home, every view has some reference to Alice: frog footman candlesticks, teacup constructions, a teapot lamp, a chessboard teapot, an oversized pocket watch, undersized doors, bunnies, internal windows that look like mirrors, and mirrors that look like windows. In the summer, I bring the indoor furniture outside. The landing has a shopfront that started life outdoors and is now the entrance to the loo. My home is an example of topsy-turvy living, and a labyrinth with many, many doors. There are so many doors... not many visitors leave without assistance."

 

 

"And I’ve dressed up time and time again in Wonderland guises (mostly as the Mad Hatter). I have more top hats than are strictly necessary, waistcoats, tailcoats, blue and white striped stockings, bunny ears... and this is not a complete inventory."

 


"I think this is the secret to Carroll’s potency. He acknowledges the madness – and the irrational, and I’m sorry (I’m no academic), but isn’t it remarkable that he invents, or discovers, the unconscious, about 30 years before Freud did? And is a surrealist more than 50 years before Dalí? He is radical. Carroll is cool."

SOURCE OF THE TEXT: harpersbazaar

Where do I want to go?



 

12 Apr 2021

Sonhadores do mundo, uni-vos!


        "Não acredito que esteja sonhando agora, mas nao posso provar que não estou."      

                       Bertrand Russell

 

Maryanne 42
 
 
"O sonho é o caminho régio para o inconsciente". 
 
Freud
 
 
Kaori Ogawa
 

 "O sonho é a imaginação sem freio nem controle, solta para temer, criar, perder e achar."

                  Sidarta Ribeiro

 
Angel Dominguez
 

11 Apr 2021

Alice by Maryanne 42

 “Who looks outside dreams; who looks inside awakes.” 

Carl Gustav Jung

 
Maryanne 42

Maryanne 42
 

Olhar para dentro, rumo ao vertiginoso abismo da consciência, talvez seja tão revelador quanto olhar para fora pelas lentes dos microscópios e telescópios.” Sidarta Ribeiro  

Do sonho pode-se esperar tudo. A consciência de estar sonhando corresponde aos sonhos lúcidos, que revelam a extensão de possibilidades no nosso mundo interior e até mesmo, o que parece impossível à mente consciente, como viajar no tempo e em realidades paralelas onde é possível satisfazer quase qualquer desejo. Em “O oráculo da noite” Sidarta Ribeiro nos sugere técnicas capazes de elevar a percepção do estado onírico, como o habito de indagar-se frequentemente, no decorrer do dia: “Será que estou sonhando?” Não é essa, fundamentalmente, a questão de Alice? 

Os “onironautas” exploram intencionalmente as possibilidades dos sonhos lúcidos. O tema atrai a atenção de psicólogos, místicos, ocultistas, artistas e são vividos em maestria pelos xamãs. Estar consciente de estar sonhando é uma condição necessária para iniciar jornadas transformadoras. Durante esses sonhos temos a consciência que estamos sonhando e podemos ter, portanto, um certo controle do enredo do sonho e da criação do universo onírico que nos rodeia. Esses sonhos costumam trazer profundas experiências espirituais e arquetípicas. 

A visão de que o sonho é um portal para a comunicação com outros mundos é fundamental entre certos aborígenes australianos. Eles creem em um plano espiritual primordial e transcendente, onde presente, passado e futuro coexistem. Nesse mundo conhecido como Alcheringa, são preservados segredos iniciáticos, a cosmogonia dos aborígenes, bem como o vasto repertorio de conhecimentos práticos que permitem habitar um ambiente tão inóspito, revela Sidarta Ribeiro. A Alcheringa permite viver dormindo uma vida inteiramente diversa cercada de seres espirituais, ancestrais, espíritos anímicos de plantas e animais, numa experiência tão plena e aumentada que acordar é sonhr e sonhar é despertar.

Essa dimensão se popularizou no ocidente com o nome inglês de Dreamtime. Quando Nancy Shepard adaptou Alice no País dasMaravilhas para a língua Pitjantjatjara da Austrália Central, o Coelho Branco se tornou um Canguru Branco, a lagarta um Witchety Grub. O país das maravilhas foi traduzido como Dreamland, fazendo o sonho de Alice emergir no mundo da Alcheringa.


RIBEIRO, Sidarta. O oráculo da noite - A  história e a ciência do sonho. São Paulo: Companhia das Letras, 2019

10 Apr 2021

Crysalices by Adriana Peliano after Mary Blair

 

Crisalice Alicenígena


Crisalice Alicinática

Crisalice  Alicedélica

Crisalice  Alicinógena