Alice in process…

Instead of the question “Who is Alice?” there are now paths leading to what Alice might come to be…

29 Aug 2012

Sigmar Polke - Alice in Wonderland

Sigmar Polke - Alice in Wonderland (1971)


Read about Sigmar Polke


" (...) Diante do universo de possibilidades que Alice abre caminho, podemos perguntar pelos artistas que foram movidos pela necessidade de superação dos modelos padronizados da menina e seu mundo surpreendente, e pela procura por novas expressões e linguagens. A multiplicação de imagens da menina metamórfica e mutante se desdobra em geral em estereótipos que aprisionam e banalidades que empobrecem. Em suas desventuras diversas Alices acabaram bebendo da garrafa escrito “clichês”. Mas Alice achou quite dull and stupid for life to go on in the common way.

Muitos artistas contemporâneos retornam às imagens de Tenniel em novas narrativas ou narrativas enviesadas. Existem ilustrações que se aproximam da representação literal da estória, ilustrações em que a linguagem é mais importante do que a representação, imagens que dialogam com a obra em estratégias artísticas contemporâneas e que muitas vezes cruzam as fronteiras entre arte e ilustração. O cânone de Tenniel se torna material para a metalinguagem. Muitas Alices contemporâneas recriam essas imagens dentro de novas imagens, num mise en abyme. Imagens conversam com imagens. (...)"

Adriana Peliano


John Tenniel, 1865


This artist participated at the Alice's exhibition at
Tate Liverpool: Alice in Wonderland
Exhibition 4 November 2011 – 29 January 2012



No comments:

Post a Comment