Alice in process…

Instead of the question “Who is Alice?” there are now paths leading to what Alice might come to be…

1 Nov 2010

Amazing Alices by Tanya Miller


Do livro de estórias infantis para o livro de imagens poéticas. 

Desde o surrealismo Alice não é mais uma criança, não existe mais o compromisso literal com a estória narrada. Alice se torna imagem poética, que convida associações inéditas e fagulhas de encontros que embaralham a ordem evidente das coisas. Novas Alices se transformam a cada aparição, dando passagem ao inconsciente do artista, que faz despertar o inconsciente do público. 

Alice se torna mito, encarnando uma menina que viaja por mundos profundos e parece transitar entre o sonho na vigília, em metamorfoses que desafiam as formas rígidas  e estagnadas de se viver e de se pensar. 

Tanya Miller

Tanya Miller
Tanya Miller


From the book of children's stories for the book of poetic images. 

Since surrealism Alice is no longer a child, there is no more committed to the literal story narrated. Alice becomes poetic image, which invites unpublished and sparks associations dating to shuffle the order of things clear. New Alices turn every appearance, giving way to the unconscious of the artist that makes the unconscious awakening of the public. 



Alice becomes myth, embodying a girl who travels through deep worlds and seems to transit between dream and waking in metamorphoses that challenge the rigid and stagnant ways of living and thinking.



stol.large
Tanya Miller
twoalice_large
Tanya Miller
WORK
Tanya Miller

Tanya Miller SITE HERE


"Através do século XX as transformações no universo das artes e da contracultura foram recriando as experiências da menina Alice no corpo a corpo como o mundo dos sonhos e o maravilhoso. No final do século o espelho de Alice explodiu em milhares de pedaços, proliferando no imaginário coletivo novas meta-alices numa ampulheta mágica e cósmica, caleidoscópio de alucinações.  Hoje se habita a alteridade e a diferença. Leituras intertextuais, metalinguagem, montagens múltiplas, narrativas não lineares. Abracadabra." 
Adriana Peliano



No comments:

Post a Comment