Alice in process…

Instead of the question “Who is Alice?” there are now paths leading to what Alice might come to be…

30 Oct 2010

Maravilhas da noite por Dorothea Tanning e Andre Masson


Sweet nightmares, mysterious invitations, surrealist metamorphosis, doors to the unknown.


dorothea_tanning_
A little night music


Picture 1
Dorothea Tanning, children's games


Dorothea Tanning, palaestra


A natureza também é feita de forças secretas, violências invisíveis, germinações, metamorfoses, bons e maus presságios, morte, sangue, as maravilhas da noite e pesadelos. 

Andre Masson


"Nature is also secret forces, invisible violences, germinations, matamorphoses, good and bad omens, death, blood, the marvels of night and bad dreams". 
Andre Masson


Alice abriu outra porta e se deparou com pesadelos que se desdobravam em crises, conflitos e medos em relação a um mundo adulto com regras incompreensíveis e tirânicas. Foi quando viu duas imagens impactantes que descobriria foram criadas por Dorothea Tanning, como Leonora Carrington, também casada com Max Ernst. Alice se torna espaço para pesadelos de morte e desejo, ansiedades, mistérios, mergulhos no desconhecido. A metamorfose é o movimento do corpo que se assombra, ritos de passagem, suspensão da realidade.

No fundo, a direita, a menina se transformara em espelho, portas, metamorfoses, viagens ao desconhecido. Quando criança Dorothea escapava para um mundo próprio de fantasia pela leitura de textos góticos, contos de fadas e autores como Carroll, Andersen e Wilde. Nas pinturas de Dorothea transbordava o estranhamento, a atração e a repulsa, entre o impulso erótico em sua potência libertadora e o medo de mergulhar no mundo instintivo.

Como Alice, suas heroínas faziam viagens pessoais de meninas para mulheres. Diante daquelas telas Alice era lançada ao desconhecido. Via corpos em transformações violentas que afirmavam a busca de uma conexão feroz com o maravilhoso. Via imagens poderosas e inquietantes da turbulência da puberdade e descoberta da sexualidade. Os espaços interiores se tornavam assombro e pesadelo.


No comments:

Post a Comment