Alice in process…

Instead of the question “Who is Alice?” there are now paths leading to what Alice might come to be…

4 Jul 2010

Alice em musiclands

See more video clipes HERE

Por Lucas Rodrigues

Não foi só para o cinema ou para a literatura que a história de Alice sofreu adaptações. No caso da música, o mais correto é falar de apropriações. Nos últimos tempos, não são poucas as canções que têm como inspiração o livro de Lewis Carroll. Para facilitar, fizemos uma lista com 10 exemplos desses trabalhos, que variam do mais mainstream ao alternativo. Alguns deles não têm ligações diretas com o enredo, mas se tratando de Alice, quem espera por alguma lógica?


10. Sarah Hudson - Girl on the Verge (2005)

A Alice de Sarah Hudson é uma garota à beira de um ataque de nervos, com pensamentos suicidas, cujos remédios estão acabando. Seu País das Maravilhas é uma mansão protegida por um sistema de alarme eletrônico, com coelhinhos, porcos e algumas cartas de baralho espalhadas pelos cômodos. Apesar das referências à história de Lewis Carroll, a musiquinha pop rock à la Miley Cyrus não convence. Calma, Sarah, não precisa se matar!





9. Ashlee Simpson – Outta my Head (Ay Ya Ya) (2008)

Visivelmente inspirada nas batidinhas dos anos 80, Ashlee Simpson tentou criar uma dimensão totalmente aleatória. A consulta psicanalítica é apenas um pretexto para a inserção de analogias que vão de Salvador Dalí e Gulliver à própria Alice. Do tique-taque no começo do vídeo à manifestação de diversas personalidades (uma delas ameaça, ainda, cortar a cabeça de quem a contrariar), o caldeirão de links do vídeo culmina no desfecho menos surpreendente. Como diria o Chapeleiro: “We’re all mad here!”.





8. Paramore - Brick by Boring Brick (2009)

Nessa música da banda norte-americana Paramore, as referências ultrapassam a história de “Alice”. Nela, todo o ambiente dos contos de fada é, de alguma forma, representado. Entretanto, a garotinha do vídeo se assemelha muito à nossa querida personagem: ao mesmo tempo receosa e maravilhada com o mundo novo que conhece. A diferença é que o final feliz que todos esperamos não chega. Pelo contrário, nele, toda a inocência é, impiedosamente, enterrada!





7. Grace Potter and The Nocturnals - White Rabbit (2010)

Gravada para a versão de Tim Burton para “Alice no País das Maravilhas”, essa música é um cover da banda norte-americana Jefferson Airplane. Nela, Grace Potter narra, misturando elementos dos dois livros de Alice, as incertezas, angústias e sensações de quem, por ventura, se vê perdido naquele universo bizarro. Na dúvida, a cantora sugere: “pergunte à Alice”!





Cover of the original music by Jefferson Airplane (1969)




6. Garbage - Stupid Girl (1996)

Ela finge que está bêbada. Finge que está entediada. Finge ser qualquer coisa, só para ser adorada. É uma estúpida! Obviamente não era de Alice que Shirley Manson falava quando compôs “Stupid Girl”. Mas como não lembrar da personagem quando ouvimos os conselhos da cantora? “Não acredite no medo / não acredite na dor / não acredite em ninguém que você não possa domar”. No vídeo, o caos e a confusão das imagens nos ajudam a relacionar a música à história. Abstração total!




5. Aerosmith - Sunshine (2001)

Em “Sunshine”, Steven Tyler viajou até o País das Maravilhas. Mas não era o Coelho Branco quem ele perseguia, e sim, a própria Alice! Nesse rock ao melhor do estilo Aerosmith, em que a personagem é comparada à “luz do sol”, o que não faltam são paródias com trechos do livro: dançar com a Rainha ou encontrar a Lagarta são apenas alguns desses exemplos. No papel do Chapeleiro Maluco, Tyler não poupa nas investidas à “Alice”. Na verdade, está mais para Lobo Mau!





4. Émilie Simon - Dreamland (2009)

Na terra dos sonhos da cantora francesa Émilie Simon o que não faltam são semelhanças com passagens de “Alice no País das Maravilhas”. Desde a chave que precisa alcançar, até as paredes que encolhem ao seu redor, muito nos remete ao conturbado mundo da pequena garota. Nas perturbadoras batidas da música, Émilie explora os mais variados efeitos psicológicos e deixa uma pergunta: será possível acordar?





3. Avril Lavigne - Alice (2010)

A velha fórmula nós já conhecemos: passear pelo bosque, seguir o coelho e cair no buraco. Seria tudo normal se a Alice de quem falamos não fugisse tanto do que imaginamos para a personagem. Em “Alice”, música escrita especialmente para o filme de Tim Burton, Avril Lavigne interpreta uma Alice gótica, completamente contrariada com a visita ao País das Maravilhas. Com as batidas pesadas e o forte refrão, a intenção foi de passar todo o sentimento da garota naquele turbilhão de acontecimentos. A canção suporta, ainda, o imaginário da personagem criada por Burton: decidida e corajosa.





   



2. Lily Allen - 22 (2009)

Perdida. Confusa. Não são essas as principais características que logo atribuímos à Alice? Pois é, “22”, de Lily Allen, representa justamente esse tipo de garota. Indo um pouco além, é a ilustração perfeita para o conceito de “Alice contemporânea”. Dessa forma, a música da cantora inglesa pode ser considerada um hino para todos aqueles que, através do espelho, se enxergam sempre com uma certa esperança.

achei AQUI


1. Gwen Stefani - What You Waiting For? (2004)

A adaptação de Gwen Stefani para a história de Carroll não merece nada menos que o primeiro lugar dessa lista. Apesar das fracas referências na letra da música, o apelo visual em relação à “Alice” é muito forte. “What You Waiting For?” é o maior exemplo das representações surreais do País das Maravilhas. Além do mais, consegue inserir tudo isso num contexto original: a falta de inspiração da cantora para compor suas canções. Enfim, Gwen Stefani foi capaz de aliar, nesse trabalho, o melhor da literatura nonsense com o mais contagiante da música pop.




More:

Tom Petty - Don't Come Around Here No More (1995)




XTC - Wonderland (1983)


   

Erasure - Breath of Life


  

Kerli - Tea Party (2010)



No comments:

Post a Comment